A rezadeira de batom vermelho

Quais os desejos que podem se esconder depois de uma certa idade? A tradição das rezadeiras pode nos revelar contradições e sentimentos comunais. Afinal somos uma reza de contradições.




Um batom vermelho passado sem olhar no espelho. Em cada mão, anéis e pulseiras coloridas. Rosto de quem já aguentou muito e conversas desencontradas que se encontram pelas ruas.  Uma casa cheia de mulheres, algumas de colo, outras querendo abraços. Já passa dos 50 há um bom tempo, tem bisneta, talvez esse seja o sinal de quem ultrapassa os 50.  

Dona Léo é dessas pessoas que não negam a fala, fala na ida, na vinda e se passar de novo, fala na ida e na vinda, só não consegue falar pelos cotovelos.  Fala com quem já conhece e com quem nunca apareceu.
Sua fala inicia assim:        
“Que o divino espírito santo lhe ilumine e toda a sua família”.  
E termina do mesmo jeito:  
“Que o divino espírito santo lhe ilumine e toda a sua família”. 
Dona Léo conhece mais a rua que sua casa. Ela e o divino espírito santo andam muito e juntos, não sei por que as coisas não se iluminam, falta de pedido não é, porque Dona Leo pede sempre: “Que o divino espírito santo lhe ilumine e toda a sua família”.  

Enquanto Dona Léo distribui o espírito santo pelas ruas, seu olhar procura estrelas e brilhos. Será que ela tem um baú para guardar estrelas e brilhos? 
Tenho baús em casa, em nenhum tem estrelas ou brilhos, além de poeira, tem algumas histórias que só se descobre se eu contar, deve ser como o olhar de Dona Léo, que pode procurar qualquer coisa, inclusive um beijo na boca.  
Hora e outra alguém visita Dona Léo só para receber galhadas de amor. 
Quando era criança minha mãe me levava com frequência na casa de uma outra mulher que me dava galhadas na testa, nos ombros e no peito, falava coisas que eu não entendia, rezava. Ela dizia que era para eu ficar bom, não sei se ficava, mas minha mãe acreditava.    
Entre a rua e a casa, entre os galhos de folhas, os anéis, as pulseiras e aquele batom vermelho, passado sem olhar no espelho, Dona Léo sai falando mais que:  “Que o divino espírito santo lhe ilumine e toda a sua família”.

Carregar mais Posts Relacionados
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Não quero ser gente

    É do senso comum e de âmbito familiar, em especial no seio das camadas populares expressões do tipo “Se não você não estudar não será gente”, “Estuda para ser gente”, “Quem não estuda não consegue ser gente”. No campo da pedagogia, essas expressões precisam ser apuradas na sua essência, pois estão diretamente ligadas as concepções pedagógicas de educação e ao processo de manutenção e transformação social.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Uma cidade para além da ciranda dos nossos pares

    O desafio da gestão democrática e participativa das cidades reside em ampliar vozes
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Costureira do escuro

    A noite estava mais escura, as luzes dos postes e das casas deviam ter se cansado ou se reuniram para fazer greve. Quando as luzes se apagam, sem a nossa vontade, os que estão espalhados se juntam, parece até que o escuro é perverso ou que ele tira nossos olhos e nossa coragem.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Sensibilidade, burocracia e o conflito na Lei Aldir Blanc

    A Lei de Proteção Social da Cultura recolou o principal marco regulatório das políticas públicas para a cultura no pais na centralidade das discussões
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Cabeças de Bonecas

    A cabeça daquele corpo estava ali entre as cabeças das bonecas e outras cabeças humanas.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    O duelo da práxis e da hipocrisia nos programas de governo

    Os programas de governos nas disputas eleitorais são importantes instrumentos para definir o perfil das candidaturas e o caráter possível dos governos eleitos. Apesar dos programas de governos não serem o vetor que possibilita na maioria das vezes a vitória eleitoral, tendo em vista, que historicamente, as eleições são decididas pelo poderio econômico, basta ver o caráter de representação parlamentar nos três níveis federativos, a maioria dos eleitos entram pelo caminho do suporte financeiro de suas campanhas e não pelas suas proposições.
Carregar Mais Por Alexandre Lucas
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Não quero ser gente

    É do senso comum e de âmbito familiar, em especial no seio das camadas populares expressões do tipo “Se não você não estudar não será gente”, “Estuda para ser gente”, “Quem não estuda não consegue ser gente”. No campo da pedagogia, essas expressões precisam ser apuradas na sua essência, pois estão diretamente ligadas as concepções pedagógicas de educação e ao processo de manutenção e transformação social.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Uma cidade para além da ciranda dos nossos pares

    O desafio da gestão democrática e participativa das cidades reside em ampliar vozes
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Costureira do escuro

    A noite estava mais escura, as luzes dos postes e das casas deviam ter se cansado ou se reuniram para fazer greve. Quando as luzes se apagam, sem a nossa vontade, os que estão espalhados se juntam, parece até que o escuro é perverso ou que ele tira nossos olhos e nossa coragem.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Sensibilidade, burocracia e o conflito na Lei Aldir Blanc

    A Lei de Proteção Social da Cultura recolou o principal marco regulatório das políticas públicas para a cultura no pais na centralidade das discussões
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    Cabeças de Bonecas

    A cabeça daquele corpo estava ali entre as cabeças das bonecas e outras cabeças humanas.
  • Coluna do Alexandre Lucas Colunas

    O duelo da práxis e da hipocrisia nos programas de governo

    Os programas de governos nas disputas eleitorais são importantes instrumentos para definir o perfil das candidaturas e o caráter possível dos governos eleitos. Apesar dos programas de governos não serem o vetor que possibilita na maioria das vezes a vitória eleitoral, tendo em vista, que historicamente, as eleições são decididas pelo poderio econômico, basta ver o caráter de representação parlamentar nos três níveis federativos, a maioria dos eleitos entram pelo caminho do suporte financeiro de suas campanhas e não pelas suas proposições.
Carregar Mais Em Coluna do Alexandre Lucas

Sobre Alexandre Lucas

Pedagogo, Presidente do Conselho Municipal de Políticas do Crato-CE, integrante do Coletivo Camaradas e da Comissão Cearense do Cultura Viva.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

Instagram did not return a 200.

Siga-nos!